segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Tudo na vida é uma questão de escolha.

Olá pessoal!!!
Como estão todos?!! Espero que bem.
Semana já começou e trouxe uma lua nova entrando em crescente, o que significa que em poucos dias teremos a primeira lua cheia do verão!!


Interessante como as fases da lua estão diretamente ligadas à nossa existência. 
Reparem que ela é como nós: cíclica.
Tem época que ela tá apagadinha, escura, apenas uma lua nova ainda sem brilho. 
De repente, ela começa a sair devagarinho dessa escuridão, a ficar aos poucos iluminada e a ir se enchendo tornando-se forte. Até torna-se plena, cheia, brilhante, no auge do seu esplendor. E lá na frente, ela começa a minguar, a ir apagando-se aos poucos, para poder se renovar de novo.


Assim é a nossa vida, em diversos aspectos.
Nascemos ali apagadinhos como a lua nova. Depois começamos a crescer, a aprender a andar, falar, a interagir com o meio e as pessoas, até chegarmos à plenitude de nossa forma física com toda nossa vitalidade. E ai a natureza começar a declinar, a se transformar e requalificar. Não mais a pujança da juventude, mas a calma e a serenidade da sabedoria que só a vivência da vida com o passar dos anos nos traz.


Mas não é só no ciclo biológico de nossa existência que somos como a lua.
Também somos cíclicos na vida de relação, de trabalho. Uma hora estamos plenos, outras apagados. A impermanência traz a certeza de estar vivo, pois nos impulsiona o tempo todo para tomadas de decisões e novos aprendizados. Tudo é apenas uma questão de escolha.


Mas o danado é que tem gente que tem medo dos ciclos.
Tem aqueles que querem manter-se sempre na lua cheia, plenos de juventude. Juram que conseguem estar nos 60, 70, com a cara de 20. Coitados!! Não sabem viver em plenitude cada etapa da existência porque estão presos ao que é fútil, ao material, ao visual. Estão presos a ilusão da forma, e com isso deixam de viver "a beleza de ser o que se é".


Outros não conseguem sobreviver aos quartos minguantes e não entendem a necessidade da lua nova na sua vida. São os momentos de reflexão, de ficar consigo próprios, de reavaliarem o que são e o que desejam, de repensar os caminhos, de rever a vida, de introjetar-se. Tem gente que fica em pânico quando entra nessas fases!! Vai logo pro psiquiatra alegando "depressão" e querendo logo um medicamentosinho para "ficar legal".


Só há uma coisa que pode fazer a gente, realmente, ficar legal na vida: aprender a viver sem ter medo. Não se acomodar com o que lhe faz mal, ter fé e esperança, acreditar que pode fazer diferente e não ter medo de olhar pra si, mas olhar de verdade e se ver como realmente se é.


Na vida tudo é opção. Ser feliz ou infeliz, alegre ou triste, doente ou sadio.
Qual é a sua opção?!
Boa semana.
Xanda

QUESTÃO DE ESCOLHA

Na faixa mental em que você atua, é natural que receba as mensagens com o mesmo teor vibratório como as envia.

Quem aspira à elevação moral e espiritual, sintoniza com vibrações superiores, que se fazem estímulos vigorosos, produzindo harmonia 
interior e renovação.

Da montanha, a visão da paisagem é mais ampla e o ar mais saudável.

Quem se demora no pessimismo, acalentando insucessos, assimila ondas
inferiores, que carreiam miasmas pestilenciais, fixando-os nos painéis 
da emoção, que geram desequilíbrios e enfemidades.

No vale, a faixa de liberdade é menor e o campo de ação mais abafado.

Entregando-se a Deus - " a onda de comprimento nulo e de frequência infinita" - você se transfere psiquicamente, onde se realiza plenamente.

Atormentando-se com dúvidas e paixões dissolventes, onde as distonias desalentam ou aceleram o ser, você tomba, mentalmente, nas demoradas faixas das sensações inferiores, nas quais se desarticula.

O céu está ao seu alcance.
O inferno encontra-se a um passo de você.
É questão de escolha...

Quando você sorri com alegria, os seus equipamentos se descontraem.
Quando você se encoleriza, todos os seus implementos recebem altas cargas vibratórias destrutivas.

A felicidade começa no ato de desejá-la.
A desdita se inicia no instante em que você lhe dá guarida.

Utilize bem o seu tempo, tudo fazendo para que o seu momento seguinte seja-lhe sempre mais promissor e agradável.

O que não alcance agora, insistindo, conseguirá depois.
Eleja, portanto, os ideais de engrandecimento humano e não se detenha nunca.
(Marco Prisco / Psicografia de Divaldo Franco)




Nenhum comentário:

Postar um comentário